Valente Susto

foto_junfem2012_2013Jogo na Póvoa de S. Iria para defrontar a equipa Forte da Casa que se encontra em último lugar sem nenhum ponto conquistado. No entanto, quem pensou que seria um passeio, rapidamente percebeu o contrário.

Alguns problemas para encontrar o pavilhão, impediu a habitual palestra do treinador com os impactos que se viria a perceber que isso provocou.

O jogo começou com as Leoas a dominarem como seria natural e com muita posse de bola, mas devido às dimensões (estreitas) do campo e à frescura do adversário, (com uma marcação individual), só com movimentações mais rápidas, podiam criar desequilíbrios, algo que pouco ou nada se viu na 1ª parte. Foram muitos os remates, alguns nem deveriam ser considerados como tal devido à falta de pontaria ou demasiado fracos, mas atingiram o número astronómico de 40, com 25 no primeiro tempo com apenas um a ser golo na 1ª parte. Por sua vez, o adversário, em 6 ocasiões rematou à baliza e alcançou dois golos, também na 1ª parte.

Como foi referido anteriormente, a lentidão de processos, pouca ou nenhuma atitude competitiva, estava a permitir ao adversário acreditar e quando aos 4 min, num lance perfeitamente inofensivo, alcança o golo inaugural, deu forças e alento a uma equipa que procura desde a 1ª jornada, conquistar pontos.

As Leoas sentiram muito este golo e demoraram a reagir. É verdade que as ausências são mais que muitas, com adaptação na baliza e mais que uma juvenil na convocatória, mas não serve de desculpa contra uma equipa limitada em tudo, excepto no crer, na dedicação e na bravura das suas jogadoras.

O jogo decorria num ritmo lento quando de repente as faltas começam a surgir para ambas as equipas. Não é uma crítica à arbitragem, mas num jogo com estas características, muitas vezes os árbitros devem controlar o jogo de outra forma de modo a manter os níveis de ansiedade baixos. Não foi o caso e com 5 faltas para a equipa da casa e 7 para as Leoas, algumas bem marcadas, outras discutíveis, provocou nas jogadoras muito nervosismo (em ambas) e com o Forte da casa a marcar uma vez em duas tentativas da marca dos 10m. A Cátia aos 28 min numa assistência perfeita da Joana fez o 1-1.

O intervalo fez bem ao jogo dos Leões Porto Salvo, e às jogadoras que entraram com outro espírito mas principalmente com outra atitude. Com uma cadência de 5 em 5 minutos, as Leoas marcaram 5 golos e não sofreram nenhum. A Cátia com quatro golos foi a marcadora de serviço, a Lídia uma vez e a Margarida a concluir a melhor jogada do jogo, fizeram os outros dois golos da equipa.

Em resumo, vitória sofrida, com o resultado ao intervalo num impensável 2-1 a favor da equipa da casa, mas na 2ª parte, com jogadas simples, com maior velocidade e objectividade, deu origem a uma vitória inequívoca da melhor equipa.

Na próxima semana, pausa para o campeonato das Juvenis com a recepção ao rivais da linha, Quinta dos Lombos, Domingo, dia 3 de Março pelas 17h30. As juniores recebem na semana seguinte, a sempre difícil equipa do Povoense num início de uma série de jogos que serão decisivos.

Resultado Final: Forte da Casa 2 – 6 Leões de Porto Salvo