Sofrimento desnecessário

Sábado, 16h30, Pavilhão Municipal da Serra das Minas onde o jogo começou com um atraso substancial. É um local que não tem grandes condições para a prática de Futsal e com apenas dois balneários, altera completamente a preparação para jogo das equipas..

Para complicar, houve esquecimento de algum material para o jogo, e houve necessidade do aquecimento (muito reduzido) ter sido feito com os calções emprestados pelo adversário.

Não pode servir de desculpa, mas efectivamente não é recomendável que estas situações aconteçam.

O jogo começou da melhor forma para as Leoas pois num lance pela ala direita logo no primeiro minuto, num remate forte da Joana, a bola é desviada por uma adversária para a sua própria baliza. Estava aberto o marcador. Mas à semelhança de jogos anteriores, o golo madrugador, não fez bem à equipa, uma vez que as opções não eram abundantes, nem o estado do piso tal como a colocação do adversário em campo  ( muito recuado) facilitava.

Com muita lentidão na troca de bola e com erros básicos que não deviam acontecer a esta equipa, o adversário num lance típico de uma equipa que tenta aproveitar o erro do adversário, chega ao empate aos 3 min. Este golo abalou a equipa que manteve a sua forma lenta de jogar (muitas jogadoras queixavam-se do piso escorregadio) e apesar de algumas oportunidades desperdiçadas, o resultado não sofreu alterações. O treinador teve que intervir e solicitar à equipa para jogar em 5×4 pois o adversário teimava em não sair dos seus 10m.

Aos 13 min e precisamente numa jogada de 5×4, com a bola a circular por todas as jogadoras um pouco mais rápido, a Liliana vai à linha de fundo e assiste a Joana ao 2º poste que remata sem oposição fazendo um golo bonito em termos colectivos e de estratégia.

Mas o pior estava para vir. Mantendo o 5×4 pois a lentidão de movimentos mantinha-se, as Leoas continuavam a desperdiçar oportunidades para dar outra tranquilidade. Num passe de risco, e sem nenhuma jogadora a pressionar o adversário que recuperou a bola e rematou para a baliza deserta, fazendo assim o 2-2 impensável contra um adversário com apenas 5 jogadoras disponíveis.

O 5×4 manteve-se por mais alguns minutos até que nova precipitação levou a novo remate perigoso que não entrou na baliza por acaso. Imediatamente o treinador dos Leões solicitou um tempo de desconto para acalmar a equipa e explicar o que tinham que fazer em 4×4 pois o 5×4 não estava a dar resultado.

O jogo mantinha-se num só sentido, com as Leoas a controlarem a bola mas o adversário com muito querer e entreajuda a anularem todas as iniciativas. A GR adversária (que era adaptada) fazia o que podia para não sofrer mais golos e chegou assim o intervalo com o empate a dois golos.

A equipa técnica explicou que só com maior qualidade de passe e uma movimentação nas alas era possível baralhar as marcações que estavam a ser fáceis de anular por parte do adversário devido à enorme previsibilidade.

O jogo recomeçou como terminou, mas aparentemente a atitude estava diferente.

É verdade que só aos 11 min surgiu o golo num remate de “raiva” por parte da Liliana na zona central. Estava feito o mais difícil. A equipa manteve a mesma toada na procura do golo mas manteve-se o sobressalto face à forma como o adversário procurava o contra ataque. Por duas vezes esteve perto de marcar.

O jogo ficou praticamente resolvido aos 16 min com o quarto golo por parte da Cátia a passe da Inês e que aproveitou uma desatenção fatal de uma defensora que deixou a Cátia isolada frente à gr que nada pode fazer. A partir daí não mais a equipa sentiu a pressão do resultado, e sem ter realizado uma exibição muito conseguida, fez bem melhor do na 1ª parte e só uma guarda-redes inspirada, não permitiu outro resultado.

Em resumo, vitória muito sofrida, por culpa própria pois o caudal ofensivo e as oportunidades que existiram, teriam permitido outra diferença de golos e se calhar uma melhor exibição. O piso pode explicar um pouco a dificuldade em movimentarem-se com maior velocidade, mas não justifica a atitude que faltou em algumas alturas do jogo.

Na próxima semana recepção à sempre aguerrida equipa do Carnide, no Sábado pelas 15h no Pavilhão dos Leões de Porto Salvo.

Resultado Final: Sol Nasce para Todos 2 – 4 Leões de Porto Salvo