Leoas vencem na Póvoa

thfghfgh1Deslocação à Póvoa para defrontar a equipa do Povoense na 23ª jornada. Um adversário tradicionalmente complicado, ocupando o 6º lugar da classificação tendo alcançado um 4-3 na primeira volta, o que causava alguma preocupação.

A semana tinha sido proveitosa com algum trabalho estratégico para este jogo.

Quando o árbitro principal deu sinal para o início do jogo, imediatamente se viu a intenção do adversário, com muitas cautelas defensivas perante a equipa dos leões. É natural este recuo dos adversários já que a equipa forasteira está no topo da classificação com um desempenho acima do esperado para esta época. Este jogo decorreu após um almoço no festejo do dia da criança e uma viagem demorada. Talvez tenha sido esta a justificação para um arranque de jogo com alguma previsibilidade nas acções, o que permitia ao adversário suster a avalanche ofensiva das leoas nos minutos iniciais.

O primeiro golo surge precisamente numa perda de bola por parte de uma jogadora dos Leões aos 8 minutos, que ao pressionar a jogadora do Povoense, a leva a efectuar um passe errado dando origem a uma transição de 3×2 por parte das leoas. Com esta vantagem numérica e a qualidade técnica destas jogadoras, Joana assiste para o golo inaugural a Beatriz Silva. Embaladas pelo golo, e em nova recuperação de bola numa cópia do primeiro golo com as mesmas intervenientes, a Cristiana é derrubada dentro da área quando se aprontava para finalizar. Na marcação da grande penalidade, no ressalto à defesa da gr, a Joana dilata o marcador para 2-0.

A equipa tranquilizou-se e passou a jogar com menos preocupações do resultado mas nem por isso deixava de dominar o jogo. As substituições permitiam manter a equipa fresca. Aos 24 min, a Inês Rodrigues numa distração, ficou mais de 4 segundos com a bola na mão o que levou à marcação de um livre directo em cima da linha de área. Na sua marcação, o Povoense reduz à segunda tentativa o que colocou alguma apreensão na equipa e injustiça no marcador. Até final da primeira parte nada se alterou e as equipas foram para os balneários com o resultado na vantagem mínima para as Leoas, 1-2.

A tendência do jogo na segunda metade não se alterou e o domínio foi absoluto em todas as vertentes, por isso não admira que após a marcação de um canto, Cátia num remate de fora da área, faz o 1-3 o que permitiu à equipa ter outra confiança, reforçada aos 17 min numa excelente arrancada em nova transição com a Cátia a assistir a Inês Ferreira com uma adversária inadvertidamente a marcar na sua própria baliza. Ao minuto 19, dois golos um para cada equipa. Para o Povoense em perda de bola das leoas dando desta vez a transição de 3×2 para a equipa da casa que reduz para 2-4. E no reatamento, num dos movimentos característicos da equipa, numa triangulação perfeita entre Inês Ferreira, Cristiana e Beatriz Silva, esta última assiste a Cristiana já dentro da área para um golo fácil mas bonito pela jogada.

O jogo estava aberto com o Povoense a vender cara a derrota e não tendo nesta fase tanta preocupação defensiva, o que permitia trocas de bola por parte das Leoas. Num contra ataque perfeito 3×1 desde a área, com as mesmas intervenientes do golo anterior, coube desta vez à Inês Ferreira finalizar novo passe da Beatriz Silva num golo muito festejado pelo muito público que acompanhou a equipa, onde se contava muitas atletas da equipa Juvenil dos LPS. No reatamento e após um minuto de desconto por parte da equipa da casa, o 3º golo do Povoense num lançamento por alto e conquistando um ressalto, a atleta do Povoense consegue enganar a Inês Rodrigues colocando a bola por baixo do corpo desta. O último golo surgiu ao “cair do pano”, com a estreante e ainda iniciada Carolina, a recuperar uma bola na primeira linha defensiva, bem para lá dos 10 metros e próxima da área, a finalizar na cara da gr num belo golo, fechando com chave de ouro a vitória número 17, sendo a 13ª consecutiva.

Em resumo, vitória inequívoca com superioridade sobre o seu adversário, mas não tendo sido tão competentes a defender como noutras ocasiões, dando muito espaço para transições em virtude do elevado número de passes errados em processo ofensivo. Saliência para a Carolina Pedro que se estreou no escalão júnior com 14 anos e logo com um golo. Melhor era difícil.

Sobre a arbitragem, uma palavra para a juventude de um dos árbitros o que terá justificado 3 cartões amarelos e a expulsão pela primeira vez da delegada Sofia Cadão que mais não fez do que levantar os braços após a exibição de dois amarelos consecutivos à equipa dos LPS. Nada a apontar a não ser que não só são as jogadoras que precisam de tempo para crescer, também os árbitros necessitam de tempo e de jogos.

Na próxima semana, jogo em casa no Domingo dia 8 de Junho pelas 15h com a recepção à equipa do Vitória de Santarém.

Resultado Final: Povoense 3 – 7 Leões de Porto Salvo