Duelo de Gigantes

foto_junbenv2013Domingo, 17h30, Pavilhão dos Leões de Porto Salvo, jogo grande da jornada com duas das melhores equipas deste campeonato. Embate decisivo e eventualmente do Campeonato já que podia definitivamente colocar o SL Benfica como campeão caso não perdesse este jogo uma vez que partia com uma vantagem de 4 pontos sobre os Leões quando faltam realizar quatro jogos (para lá deste).

Teve de tudo este jogo, alternância no marcador, intensidade, muito publico (das duas equipas e não só), qualidade técnica e táctica e momentos de explosão de alegria. E indecisão sobre o vencedor até ao último minuto. Esta é a essência do desporto e o prazer da competição e o que leva os adeptos aos pavilhões. Pena o campeonato não ser mais nivelado de modo a existirem mais jogos como este.

Falando do jogo, houve uma mudança de atitude e de comportamento de uma semana para a outra. Se na passada anterior, a equipa entrou nervosa, pouco pressionante e sem capacidade de organização ofensiva, não conseguindo reagir face à pressão do adversário, desta vez foi precisamente o oposto. Foram umas Leoas do primeiro ao último minuto. Excepção feita no final da primeira parte e que coincidiu com dois golos num minuto por parte do adversário em virtude de uma desconcentração colectiva e que podia deitar tudo a perder.

Mal o jogo teve início, a equipa dos Leões de Porto Salvo posicionou-se em campo de modo a anular qualquer iniciativa à saída da grande área do adversário. A pressão era tremenda da primeira linha com o apoio das linhas mais recuadas que anulavam a organização ofensiva do adversário. Quando a bola conseguia passar para as avançadas do SLB, a 2ª e 3ª linha, pressionava imediatamente recuperando muitas bolas, impedindo o perigo para a baliza defendida pela Inês.

Com esta atitude, desde o primeiro minuto que foram surgindo oportunidades de golo que por falta de pontaria, de força ou por boa intervenção da gr do SLB, não eram concretizadas. Mas ao minuto 4, na marcação de um canto, a Lídia decide fazer um golaço com um autêntico “míssil” à baliza que fez saltar de alegria os muitos adeptos dos Leões colocando o adversário em sentido e mostrando que as Leoas estavam ali para reduzir a diferença pontual no campeonato.

As Leoas com mais posse de bola, mais recuperações, mais remates, justificavam o segundo golo que por mera infelicidade não surgiu mais que uma vez. Com um banco de suplentes tão rico como o dos Leões, o SLB fez valer a sua liderança e começou a equilibrar o jogo por volta dos 15/20 min, também por força do cansaço natural de algumas jogadoras da equipa da casa. Nessa subida de produção do SLB e uma diminuição da intensidade e pressão por parte das Leoas, num lançamento lateral do SLB no meio campo ofensivo, a bola sobra para a Lídia que ao tentar recuperar a bola, toca com demasiada força para a Bianca o que faz que a bola fosse ter com uma jogadora do SLB, que não hesita um segundo e efetua um remate potente e colocado ao angulo direito da baliza da Inês. Um golo que fez levantar a bancada dos adeptos encarnados. Refira-se que foi o primeiro remate digno desse nome aos 28 min de jogo. Passado um minuto e demonstrando novamente que esta equipa das Leoas ressente-se muito quando sofre um golo (pouco controle da ansiedade nos momentos negativos), numa insistência por parte da fantasista pivô, nr 6 do SLB, e após um ressalto, a bola sobra para uma colega que num remate rasteiro ao poste mais distante já dentro da área, faz o golo sem hipótese de defesa, dando assim a volta ao marcador. Foram dois “murros no estomago” depois de 28 min a dominar e a falhar oportunidades atrás de oportunidades. Mas mais grave que isso, controlando o adversário e a posse de bola. Pouco depois o árbitro apitava para o final da 1ª parte com a vantagem de 1-2 para o líder e mais que certo campeão distrital com este resultado.

Ao intervalo a equipa técnica pediu às jogadoras que acreditassem que o SLB não ia ter novamente sorte como teve na primeira parte, que iam ser capaz de empatar e depois marcar o golo da vitória, desde que mantivessem a atitude, a humildade e o caracter com que tiveram durante 28 min no primeiro tempo.

Quando o jogo recomeçou, notou-se claramente que o SLB ia aguardar no seu meio campo para aproveitar algum erro ofensivo da equipa da casa, mas foi notória a manutenção da atitude competitiva por parte das jovens Leoas que pressionavam a todo o campo, reconquistando a bola e partindo rápido para o ataque em velocidade, em dribles, em jogadas colectivas que começou a fazer acreditar os sócios e simpatizantes dos Leões. Antes do golo do empate, várias oportunidades de golo tinham sido desperdiçadas inclusive com uma bola no poste enviada pela Liliana. O SLB tentava parar como podia as Leoas através de faltas ou atirando a bola para onde estavam viradas. Só dava Leões e as jovens encarnadas não sabiam o que fazer para parar o caudal ofensivo. Pelo centro, pelas alas, em jogadas individuais, em tabelas, em circulação, existia uma variedade de opções que baralhava completamente o SLB.

O seguinte lance caracteriza bem a velocidade, intensidade e dedicação que as Leoas demonstravam nesta altura e como ia e estava a decorrer a 2ª parte. Aos 6 minutos num contra ataque rápido pelo centro por parte do SLB após perda de bola dos Leões, a Bianca intercepta a bola na linha de meio campo e a Flávia transforma num contra ataque de 2×1 rapidíssimo. Ao tentar assistir a Débora, a fixo do SLB consegue tocar na bola que sobra uma colega que não ataca a bola. A Bianca ao analisar a passividade da adversária, acelera, recupera a bola, adianta-a um pouco para a linha de fundo e cruza com o seu pé esquerdo com conta peso e medida. A gr do SLB bem tenta alcançar a bola mas a bola chega à Flávia que faz o golo do empate e uma explosão de alegria nas hostes dos Leões, no entanto, desta vez com a sensação que não iam ficar por ali. Não houve diminuição da intensidade, pelo contrário e novamente as Leoas a pegarem no jogo na procura do golo que lhes desse maior tranquilidade.

Uma nota que importa realçar e que fez a diferença na 1ª para a 2ª parte. Com apoio entre linhas e a bola a entrar nesse apoio, as Leoas passaram a conseguir entrar com mais facilidade no meio campo adversário e a terem oportunidade de baralhar as marcações chegando mais rapidamente à zona de perigo e de finalização. A intensidade de jogo não baixava mesmo com as substituições e à passagem do minuto 12, num lance de ataque organizado, a Bianca assiste na ala direita a Flávia que deixa a bola para a mesma Bianca que entra em velocidade pela ala (lance que é visível a diferença de atitude e de andamento entre as duas equipas) e remata com força ao 1º poste surpreendendo a gr que não fez tudo neste lance pois é ela que introduz a bola na baliza. Estava consumada a reviravolta e era importante agora controlar melhor o adversário e manter a qualidade de jogo.

O SLB solicitou de imediato um minuto de desconto, mas desta vez não ia ocorrer a mesma situação pois as Leoas estavam avisadas para o perigo de baixar a intensidade e a concentração. O jogo manteve a mesma toada e novamente foram muitos os lances que deviam ter sido finalizados para dar repouso a uma equipa que jogou e a outra que assistiu, principalmente nesta 2ª parte.

O jogo aproximava-se do final e com a tensão a subir pois o golo da tranquilidade não surgia e o SLB tentava aproximar-se da baliza da Inês para chegar ao empate. Felizmente isso não aconteceu e no último lance da partida, numa triangulação perfeita entre Débora, Cátia e Bianca, esta última numa insistência após boa intervenção da gr remata para a baliza deserta e antes desta entrar toca ligeiramente na Cátia que confirma a vitória com o 4º golo. O árbitro apitou logo de seguida.

Vitória sofrida mas inteiramente justa da única equipa que durante toda a partida quis vencer o jogo, mas sabendo que do outro lado estava um conjunto de jogadoras que com uma qualidade técnica acima da média, podia a qualquer momento (como fez num minuto) marcar um golo.

Em resumo, uma vitória justíssima que pecou por tardia, já que na primeira parte o resultado era injusto mas revelava porque o SLB lidera a classificação e o seu score de golos com jogadoras letais em frente à baliza. Uma palavra para o muito público que esteve presente, tendo sido uma preciosa ajuda para a equipa dar a volta ao resultado que se verificava ao intervalo. Um jogo tremendo por parte de todas as jogadoras que apesar da contrariedade ao final da 1ª parte, lutaram até ao fim das suas forças por um resultado que permite continuar a sonhar.

Ficam a faltar quatro jornadas e com uma desvantagem de um ponto em 12 possíveis, há que encarar com a mesma humildade todos os jogos que faltam disputar e no final se fará as contas, mas tendo noção que a vantagem está claramente do lado do adversário de hoje.

O Campeonato das juniores só regressa no 4 de Maio com uma deslocação a Lisboa para defrontar a equipa do Sol Nasce para Todos.

Resultado Final: Leões de Porto Salvo 4 – SL Benfica 2