Perfil » João Correia

O nosso perfil começou a ligação ao clube na época passada como adjunto da equipa técnica que treinou os Juvenis. Esta época abraça mais desafios, é Treinador Principal dos Benjamins Brancos (Juniores “E”) e Treinador Adjunto dos Juvenis e das Seniores Femininas.

É o Mister João Correia que vamos conhecer um pouco melhor em mais um perfil dos Leões de Porto Salvo.

 

João CorreiaLPS – Fala-nos um pouco da formação atual do plantel para esta época…
JC – Neste escalão é difícil pronunciarmo-nos sobre a qualidade do plantel pois os miúdos ainda estão numa fase de crescimento e a aprender tudo sobre a modalidade que praticam. Em termos de grupo ainda se estão a conhecer melhor e não nos podemos esquecer que muitos deles ainda têm idade para estar no escalão inferior, o que atesta a aposta que estamos a fazer neles.

LPS – Apesar de estarmos a falar de formação, onde outros valores desportivos e humanos são incutidos… Qual o objectivo para esta época?
JC – Diria que o objetivo, numa só palavra, será formar. Ou seja, dotar estes miúdos dos conhecimentos e ferramentas de jogo necessários para continuarem a evoluir na modalidade. Os valores desportivos e humanos deverão estar sempre presentes ao longo do ano. Este é um clube que dá prioridade à formação dos homens e mulheres de amanhã e para tal o futsal aparece nestes miúdos como um complemento importante. Não tem qualquer lógica, do nosso ponto de vista, olhar para estes jovens e pensar em objetivos em termos de tabela classificativa.

 

LPS – No teu ponto de vista como vês o estado atual da formação em futsal a nível nacional?
JC – Vejo sinceramente que a modalidade continua a crescer. A aposta em novos cursos de treinador de futsal prova isso mesmo. Pretende-se qualidade no trabalho que tem vindo a ser desenvolvido pelas associações. É importante termos bons treinadores nos escalões de formação de modo a que os jovens praticantes possam evoluir e tornar este desporto ainda mais espetacular. Verifico ainda com muito agrado que as nossas jovens começam cada vez mais a aderir a esta modalidade, facto evidente quando olhamos para os clubes e vemos que todos os anos novos escalões femininos vão abrindo vagas.

 

LPS – Consideras que o investimento feito no Futsal na Formação pela entidades oficiais é suficiente, ou o que poderia melhorar?
JC – Se quisermos podemos sempre fazer mais um bocadinho em prol daquilo que gostamos.

LPS – Quais os principais objetivos no trabalho que desenvolvem com a equipa?
JC – O principal objetivo é, como referi atrás, fazer estes jovens crescer. Nestas idades daremos primazia ao aperfeiçoamento da coordenação e equilíbrio de cada um, familiarizando-os, ao mesmo tempo, com o espaço/campo de futsal. Trabalhar-se-á a velocidade de reação e de execução de cada um, iniciando esse trabalho nos aspectos mais simples e mais importantes no jogo: o passe e receção. A resistência de cada atleta virá com a participação de cada um em jogo. Esperamos ainda conseguir estimular cada vez mais a capacidade de atenção de cada um que, nestas idades, é baixa para a prática desta modalidade.

 

LPS – Os Leões são dos clubes que mais jogadores inscrevem na Federação a nível Nacional…. Achas que este facto deve-se a quê?
JC – Só poderá advir da qualidade com que se trabalha neste clube. As pessoas aqui sentem-se bem tratadas, os miúdos sentem-se confortáveis, têm acompanhamento não só ao nível do futsal em si, como também existe a preocupação em tornar os atletas melhores pessoas. E existe ainda preocupação pela carreira escolar. Todos estes fatores juntos fazem com que as pessoas vão aderindo cada vez mais a este clube.

 

LPS – Sabemos que os métodos de treino não só mudam de treinador para treinador, mas também de escalão para escalão… Quais os objectivos técnicos e/ou tácticos que desenvolvem na tua equipa?
JC – Embora cada treinador tenha a liberdade de implementar os seus princípios, tenta levar-se uma linha condutora na formação. Desta forma, indo ao encontro do que já referi atrás, os objetivos técnicos para este escalão são: dotá-los de qualidade ao nível do passe e receção; familiarizar os jogadores com o espaço/campo de futsal usando uma bola mais pequena; dar-lhes tempo de jogo (de modo a aumentarem a resistência aeróbica) quer através do jogo formal formal, quer através de jogos em campo reduzido e/ou lúdicos. A nível tático pretende-se que saibam distinguir claramente o defensor e o atacante e quais as tarefas de cada um tem que desempenhar conforme estejam num ou em outro papel. Outro objetivo será estimular-lhes a capacidade de atenção para o jogo e no treino.

LPS – Sabemos que o acompanhamento dos Pais ao trabalho desenvolvido no clube é, na generalidade um acompanhamento presente. Por isso o que gostarias de transmitir aos Pais dos teus jogadores?
JC – Gostaria apenas de dizer que é muito importante para os miúdos saber que os pais estão presentes e se interessam. É a partir daqui que se podem incutir alguns valores, tal como o respeito pelos outros, a importância de assumir um compromisso, respeitar horários, etc. Por isso espero que eles próprios aproveitem esta experiência para ajudarem os filhos a crescer e a prepará-los para o amanhã!

LPS – E já agora que mensagem deixarias para os jogadores?
JC – Que se divirtam e aproveitem os treinos e jogos para fazerem aquilo que os faz feliz, sempre dentro do espírito de grupo e de união!

Leave a Comment

(required)

(required)